Etiquetas

,

U.S.A. Army PhotosBC., SC, Brasil.- Os exércitos da Coreia do Sul e Estados Unidos encerram hoje manobras navais contra ataques submarinos como resposta ao recente lançamento espacial da Coreia do Norte, considerado um ensaio de mísseis.

Segundo Agência Brasil, em nota de 15 de fevereiro, os exercícios – que ocorrem em águas sul-coreanas desde sábado – visam reforçar a preparação dos aliados em face de um hipotético ataque com submarinos pelo regime de Kim Jong-un, segundo informou a Força Naval sul-coreana em comunicado.

As forças de Seul e Washington simularam uma perseguição submarina e treinaram o combate real, em manobras que “aumentaram a capacidade para detectar, distinguir, rastrear e atacar submarinos do inimigo”, diz a mesma nota.

As manobras contam com o submarino de propulsão nuclear norte-americano de 7.800 toneladas – o USS North Carolina – e o submarino Kim Jwa-jin, de 1.800 toneladas, da Coreia do Sul.

Após concluírem hoje estas manobras, as forças navais de ambos os países vão realizar, na quarta-feira, um outro exercício conjunto focado na detecção de submarinos, em que vão participar aviões de vigilância.

Os exercícios navais dos aliados são uma resposta ao recente lançamento de um satélite a bordo de um foguete espacial por parte da Coreia do Norte, condenado pela comunidade internacional que o considera um ensaio encoberto de mísseis que viola resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Estados Unidos e Coreia do Sul pediram ao Conselho de Segurança da ONU a imposição de duras sanções à Coreia do Norte.

Washington tenciona enviar, em março, para a Coreia do Sul o porta-aviões de propulsão nuclear USS John C. Stennis, segundo fontes de Seul.

Os Estados Unidos mantêm 28.500 militares na Coreia do Sul e se comprometem a defender o seu aliado de um eventual ataque por parte do Norte como legado da Guerra da Coreia (1950-53).