Etiquetas

, ,

O dia de reflexão e debate sobre a liberdade de imprensa foi organizado na sede da Organização em Paris depois do ataque, que deixou 12 vítimas fatais, contra a revista satírica francesa Charlie Hebdo.

A Foto ONU ---Rio de Janeiro. – “O ataque contra o Charlie Hebdo foi um ataque contra a liberdade de expressão, um dos pilares de nossa visão, cujos porta-bandeiras são os jornalistas”, disse a diretora-geral Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em evento nesta quarta-feira (14), na sede da Organização em Paris.

O dia de reflexão e debate sobre a liberdade de imprensa foi organizado depois do ataque do dia 7 de janeiro contra a revista satírica francesa Charlie Hebdo, e reuniu membros da imprensa francesa e internacional, os Estados-Membros da UNESCO, formadores de opinião e estudantes de escolas de jornalismo. O evento foi aberto por Bokova e pelo cartunista francês Plantu.

Em seu discurso, Bokova expressou alarme contra os ataques deliberados contra jornalistas. “Os números são surpreendentes. A cada sete dias, um jornalista é morto por fazer seu trabalho. Nove de cada dez casos ficam impunes. Isto é simplesmente inaceitável”, disse a diretora-geral.

Neste domingo (11), Bokova, juntamente com funcionários da UNESCO, participou da manifestação que congregou 1,5 milhão de pessoas em solidariedade às vítimas do atentado. O enviado especial do secretário-geral da ONU, Staffan de Mistura, representou Ban Ki-moon na marcha contra o terrorismo.

É preciso dizer que a informação foi divulgada, em idioma português, no dia 14 de janeiro pela ONU Brasil.