Amormada 0

O impacto da violência infantil se estende por muito tempo após o fim das agressões e pode afetar a qualidade de vida a longo prazo. Mais de um quarto das crianças já sofreu abuso emocional no país.

Rio de Janeiro.- Uma nova pesquisa apoiada pelas Nações Unidas revelou que mais da metade das crianças do Camboja experimentam pelo menos uma forma de violência antes dos 18 anos, enquanto cerca de um quarto já sofreu abuso emocional.

O relatório, Pesquisa sobre a Violência Contra as Crianças no Camboja (CVACS), foi coordenado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e faz parte de uma iniciativa que visa a compreender a magnitude e a natureza da violência contra as crianças no sudoeste da Ásia.

Além dos altos índices de violência, descobriu-se que a maioria dos casos de abuso físico foi cometida por pessoas em quem as crianças confiavam, enquanto os episódios de abuso sexual foram majoritariamente executados por amigos e vizinhos. Mães e professores homens foram considerados os mais prováveis agressores físicos contra as crianças.

A pesquisa ainda revelou que o impacto da violência nas crianças se estende por muito tempo após o fim das práticas abusivas, podendo afetar a sua qualidade de vida a longo prazo. As consequências podem variar de infecções sexualmente transmissíveis e problemas de saúde a sofrimento mental moderado, lesões auto provocadas, pensamentos suicidas e comportamento de risco.

Marta Santos Pais, representante especial do secretário-geral da ONU sobre Violência contra Crianças, ressaltou seis passos para auxiliar os governos a enfrentar a violência infantil. Dentre eles, estão a promulgação e a aplicação eficaz de uma proibição legal explícita sobre este tipo de agressão, o aumento de esforços para tornar tais ações socialmente inaceitáveis, a garantia de inclusão social de crianças em situação de maior risco, o fortalecimento dos sistemas de dados e de provas sólidas para prevenir a agressão, além da cooperação da comunidade internacional para garantir que a proteção das crianças contra a violência esteja presente na agenda de desenvolvimento de 2015.

Cabe assinalar que a informação, em idioma português, foi divulgada no dia 22 de outubro.

Submarino 0