Etiquetas

, , ,

Brian 0

O ‘Open Foris’ é uma iniciativa liderada pela FAO a favor da redução de emissões poluentes na atmosfera e da facilitação da compreensão de dados como a medição de árvores e as imagens de satélites.

A FAO lançou um novo software que pode ajudar as nações em desenvolvimento a monitorar o estado de suas florestas. Foto: FAO/Joan Manuel Baliellas

A FAO lançou um novo software que pode ajudar as nações em desenvolvimento a monitorar o estado de suas florestas. Foto: FAO/Joan Manuel Baliellas

Rio de janeiro, Brasil.- Informações precisas são cruciais para que os governos possam gerenciar seus recursos naturais de forma sustentável, afirmou a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), ao anunciar o lançamento de um novo software que pode ajudar as nações em desenvolvimento a monitorar o estado de suas florestas.

Atualmente cerca de 80% dos países em desenvolvimento têm dificuldade em obter e utilizar informações básicas sobre seus recursos florestais. O novo programa, chamado de ‘Open Foris’, é uma iniciativa liderada pela FAO e inclui ferramentas para auxiliar os países a alcançar requisitos internacionais a favor da redução das emissões poluentes na atmosfera – provenientes do desmatamento e da degradação florestal – e do aumento do estoque de carbono nas florestas.

O objetivo também é simplificar o processo complexo de transformação de dados, como medições de árvores e imagens de satélite, em páginas da web interativas com estatísticas, gráficos, mapas e relatórios.

Lançado nesta sexta-feira (10), o programa já está sendo testado em mais de dez países da África, da Ásia e da América Latina.

As expectativas da FAO são positivas, uma vez que “essa é a primeira ferramenta completa de código aberto que não só irá guiar os países por todo o processo de coleta de dados e de análise, mas também vai incentivar e facilitar a partilha de conhecimento aberto de uma forma inovadora”, disse o diretor assistente da FAO para o manejo florestal, Eduardo Rojas-Briales.

É necessário dizer que a informação foi divulgada, em idioma português, no 13 de outubro pela ONU Brasil.-

La Nación 0