Iphone 0

Foto: ONU/Casey Crafford

Foto: ONU/Casey Crafford

Rio de Janeiro.- A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, afirmou, nesta quarta-feira (3) estar chocada com o assassinato do jornalista norte-americano Steven Sotloff. Na ocasião, ela também pediu a libertação imediata de todos os reféns civis detidos por grupos militantes na Síria.

“Condeno profundamente a execução de Steven Sotloff”, disse Bokova, que também expressou suas sinceras condolências à família e amigos do jornalista.

“Sotloff – assim como James Foley que foi assassinado de maneira tão desprezível, há duas semanas – era um homem corajoso que trabalhava como jornalista empenhado em dizer ao mundo o que estava acontecendo no terreno”, disse Bokova.

É escandaloso que esses “profissionais corajosos, que são movidos pelo desejo de descobrir como as pessoas são afetadas pela guerra e compartilhar suas histórias com o mundo, devam sofrer tal tratamento desumano”, afirmou.

De acordo com a UNESCO, mais de 430 jornalistas foram mortos entre 2007 e 2012.

Cabe dizer que a informação foi divulgada, em idioma português, pela ONU Brasil no dia 4 de setembro.

Netshoes 0