Jacob 0

Patrulha da UNDOF nas Colinas do Golã. Foto: ONU/Wolfgang Grebien

Patrulha da UNDOF nas Colinas do Golã. Foto: ONU/Wolfgang Grebien

Rio de Janeiro.- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, solicitou novamente nesta segunda-feira (01) a libertação dos 44 integrantes fijianos da força de paz  ONU que se encontram presos por forças opostas ao governo sírio nas Colinas de Golã.

“Exijo novamente a libertação imediata e incondicional destes corajosos capacetes-azuis que foram enviados para a região para trazer estabilidade para o bem da população”, disse Ban.

Em um telefonema realizado no domingo (31), Ban explicou ao primeiro-ministro fijiano, Frank Bainimarana, o andamento das negociações entre os comandantes das Nações Unidas e os grupos armados, e “garantiu que as Nações Unidas não pouparão esforços para a libertação imediata das tropas de Fiji”. Ele também afirmou que a Organização está “trabalhando contra o relógio para a sua libertação”.

Os soldados fijianos estão servindo na Força da ONU de Observação do Desengajamento (UNODF), que monitora o cessar-fogo estabelecido em 1974 entre Israel e Síria. O grupo foi detido na última quinta-feira (28) por homens armados, e desde então nenhuma outra informação adicional sobre seu estado ou localização foi disponibilizada.

Enquanto isso, a Organização anunciou que os 72 membros filipinos da força de paz que estavam sitiados por grupos armados em duas localizações nas Colinas de Golã foram postos em liberdade e se encontram em segurança.

Cabe assinalar que, a informação foi traduzida em idioma português e divulgada no dia 1º de setembro.

STARLINE 0000