Lenovo 0  -

Uma moradora de Sloviansk, Ucrânia, no meio dos escombros da cozinha de sua casa de verão. Foto: ACNUR/Iva Zimova

Uma moradora de Sloviansk, Ucrânia, no meio dos escombros da cozinha de sua casa de verão. Foto: ACNUR/Iva Zimova

Rio de Janeiro.- Um atentando contra um comboio de pessoas deslocadas internamente que tentavam deixar a região de Luhansk, no leste da Ucrânia, deixou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, profundamente preocupado com a situação de vulnerabilidade dos civis no país.

O chefe da ONU instou “todos os lados do conflito a respeitarem as regras que governam o estado de pessoas deslocadas internamente (IDP) e refugiados e permitir a passagem segura para todos aqueles que tentem deixar as áreas de operações militares ativas”.

“Este trágico incidente faz com que a urgência de um cessar-fogo e uma solução diplomática sejam ainda mais necessárias”, acrescentou Ban.

De acordo com relatos da mídia, o exército ucraniano diz que dezenas de pessoas, incluindo mulheres e crianças, morreram quando foguetes e morteiros atingiram os veículos durante o ataque de hoje.

O Secretário-Geral tem apelado repetidamente para uma resolução pacífica da crise em curso no leste da Ucrânia e enfatizou a necessidade de avançar na implementação do plano de paz anunciado pelo presidente Petro Poroshenko em junho, que envolve propostas para descentralizar o poder, a realização de eleições antecipadas, e a criação de um zona neutra na fronteira russa-ucraniana.

O chefe da ONU pediu ao subsecretário-geral para assuntos políticos, Jeffrey Feltman, para retornar à capital ucraniana, Kiev, nesta semana.

É preciso dizer que, a informação foi divulgada, em idioma português, pela ONU Brasil, no dia 19 de agosto.

COSME 0 -