Walmar 0

A campanha ajuda as cidades a prevenir desastres, como os deslizamentos de terra que ocorreram na região serrana do Rio de Janeiro em 2011. Foto: Valter Campanato/ABr

A campanha ajuda as cidades a prevenir desastres, como os deslizamentos de terra que ocorreram na região serrana do Rio de Janeiro em 2011. Foto: Valter Campanato/ABr

Rio de Janeiro.- Com a inscrição da cidade brasileira Águas da Prata (SP), duas mil cidades em todo o mundo já fazem parte da campanha global da ONU “Construindo Cidades Mais Resilientes: Minha cidade está se preparando!”, que envolve o maior número de governos locais dispostos a assumir o desafio de integrar a gestão de riscos de desastres nos seus processos de desenvolvimento. 

A campanha global, promovida pelo Escritório da ONU para a Redução de Riscos de Desastres (UNISDR), tem cerca de 25% das cidades participantes localizadas nas Américas, das quais 11% são brasileiras, um total de 226 municípios. 

“Esse crescimento deve-se a todos os setores e, particularmente, ao aumento da priorização dos governos locais de redução de risco de desastres e problemas de construção de resiliência”, disse o chefe do Escritório Regional da UNISDR nas Américas, Ricardo Mena, em um comunicado à imprensa. 

Águas da Prata, município de 7,5 mil pessoas no estado de São Paulo, foi a última cidade a aderir à campanha e pode ser descrita como um “exemplo típico” de uma pequena comunidade brasileira, onde inundações periódicas e deslizamentos ocasionais representam um risco para a sua habitantes e seu desenvolvimento. 

O programa “Município Verde Azul” do Estado de São Paulo está fornecendo apoio financeiro, equipamentos e outros benefícios para os municípios inscritos na campanha. O suporte adicional também vem da região administrativa da cidade de Campinas, onde o diretor da equipe de Defesa Civil, Sidnei Furtado é um acérrimo defensor da campanha. 

“A campanha é uma grande oportunidade para mudar paradigmas e contribuir para a reorganização do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil. Ela permite uma maior abrangência e coordenação nacional, e fortalece a prevenção como chave para o planejamento estratégico na redução do risco de desastres”, disse o diretor da equipe de Defesa Civil de Campinas, Sidnei Furtado.

A campanha é baseada nos 10 fundamentos para desenvolver a resiliência local, que por sua vez é construída sobre cinco prioridades de ação do Marco de Ação de Hyogo (HFA), adotada pelos Estados-membros da ONU de 2005 a 2015.

Cabe assinalar que a informação foi divulgada pela ONU Brasil, no dia 15 de agosto.

WEBJET   0