Etiquetas

, ,

Crianças iraquianas que conseguiram fugir da violência. Foto: ONU/Bikem Ekberzade

Crianças iraquianas que conseguiram fugir da violência. Foto: ONU/Bikem Ekberzade

Rio de Janeiro.- Cerca de 10 mil pessoas de comunidades predominantemente cristãs no norte do Iraque fugiram de suas casas nesta semana em meio à violência em curso em Mosul, disse a agência da ONU para refugiados (ACNUR), nesta sexta-feira (27). Segundo o ACNUR, as pessoas que fugiram são de Qaraqosh, uma cidade de 50 mil pessoas localizada a 30 quilômetros do sudeste de Mosul, onde grupos armados de oposição assumiram o controle há duas semanas.

“Muitas são mulheres e crianças que estão com suas famílias e parentes em escolas e centros comunitários, principalmente em Erbil. Eles nos dizem que fugiram tão rápido que não trouxeram quase pertences com eles, sinal do medo que passaram”, disse a porta voz da ACNUR, Melissa Fleming.

Questionada sobre se os cristãos que fugiam dos combates tinham sido diretamente visados ​​por causa de sua religião, Fleming respondeu que eles afirmaram estar fugindo preventivamente. “Certamente há um medo generalizado entre a comunidade cristã nesta área. Mas, neste caso particular, não houve segmentação específica, mas sim saída preventiva por medo de que iria acontecer”, afirmou.

O ACNUR afirmou que muitos fugiram para a região do Curdistão iraquiano, que já hospeda 300 mil pessoas de Mosul e de áreas adjacentes. A agência e seus parceiros estão distribuindo barracas, colchões e kits de higiene nas escolas e centros comunitários em Erbil e, juntamente com autoridades curdas, tem ajudado a expandir e construir novos campos para acomodar o número crescente de famílias deslocadas internamente. Só neste ano, até agora, cerca de 1,2 milhão de iraquianos foram deslocados pelos combates.

É preciso dizer que, a informação foi traduzida, em idioma português, e divulgada no dia 30 de junho pela ONU Brasil.