Etiquetas

,

Missão de paz da ONU no Líbano em patrulha. Foto: ONU/Jorge Aramburu (2007)

Missão de paz da ONU no Líbano em patrulha. Foto: ONU/Jorge Aramburu (2007)

Rio de Janeiro, Brasil.- O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, lamentou neste domingo (25) o fracasso do parlamento libanês em eleger um novo presidente dentro do prazo estabelecido pela nova Constituição nacional, pedindo que os líderes do país escolhessem um novo representante “sem demora” e que continuassem abordando os desafios e obrigações internacionais da nação.

“A ONU permanece comprometida em sua parceria com o governo do Líbano enquanto trabalha para a conquista destes objetivos”, disse Ban, em comunicado de seu porta-voz. O mandato do atual chefe de Estado, Michel Sleiman, terminou também no domingo, e a constituição libanesa especificava a eleição de um novo presidente pelo parlamento dentro deste prazo.

Há duas semanas, o coordenador especial da ONU para o Líbano, Nabih Berri, já havia alertado para a necessidade de se evitar um vácuo de poder na presidência: “Nós sinceramente esperamos que os membros do parlamento se comprometam com a eleição de um novo presidente mediante o prazo estabelecido por lei”.

Ainda assim, o chefe da ONU elogiou os seis anos de gestão do presidente Sleiman, especialmente o seu “comprometimento com a unidade e a estabilidade do Líbano”, que incluiu a cooperação com o Grupo Internacional de Apoio ao Líbano e a implementação de resoluções relevantes das Nações Unidas.

È preciso dizer que a informação foi traduzida em idioma português e divulgada no dia 26 de maio pela ONU Brasil