Destruição em Fallujah. Foto: Joe Carr (Wikimedia Commons)

Destruição em Fallujah. Foto: Joe Carr (Wikimedia Commons)

Rio de Janeiro, Brasil.- Nesta segunda-feira (12), o representante especial do secretário-geral das Nações Unidas e chefe da missão de assistência da ONU no Iraque (UNAMI), Nickolay Mladenov, se disse preocupado com os relatos sobre o aumento nas atividades armadas em Fallujah, cidade na província iraquiana de Anbar, e com o seu possível impacto na população civil.

Os habitantes de Anbar já sofreram com o terrorismo e a violência por tempo demais”, declarou Mladenov. “Todos os esforços devem der feitos para garantir o fim dos conflitos, o retorno das pessoas às suas casas e o início da reconstrução da cidade”.

Confrontos entre tropas iraquianas e militantes ligados à al-Qaeda resultaram no deslocamento de centenas de milhares de pessoas.

É vital que aqueles afetados pelas lutas consigam receber assistência. A equipe humanitária da ONU seguirá trabalhando com o governo e autoridades locais para garantir que, a despeito das dificuldades, o auxílio chegue àqueles que dele necessitam.” No entanto, ele alertou: “Confrontos contínuos frequentemente dificultam a distribuição de ajuda de emergência essencial”.

Mladenov também pediu às forças de segurança iraquianas para que a restauração da lei e da ordem em Anbar se desse “de acordo com as obrigações internacionais e constitucionais do Iraque com os direitos humanos”.

Desde o início da violência, a ONU distribuiu mais de 15 mil pacotes de comida, cobertores e tendas, e quase 38 mil kits de higiene e saneamento na região.

Cabe assinalar que a informação foi divulgada (12/05) em idioma português pela ONU no Brasil.