Etiquetas

, , , ,

 Multidão aguarda auxílio no campo de Yarkmouk. Foto: UNRWA


Multidão aguarda auxílio no campo de Yarkmouk. Foto: UNRWA

Rio de Janeiro, Brasil.- As Nações Unidas voltaram a exigir, neste sábado (19), o livre acesso humanitário às áreas ocupadas do campo de refugiados da Palestina, Yarmouk, no sudoeste da Síria, alertando que a escalada de violência na região bloqueou a distribuição de doações e resultou em uma perigosa escassez de alimentos.

“Esse é o décimo dia consecutivo em que a Agência não consegue distribuir alimentos em Yarmouk”, disse Chris Gunness, porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA). “Considerando que cada remessa de alimentos dura no máximo 10 dias, já neste sábado não haverá mais comida no campo”.

Até o início da guerra civil no país, em março de 2011, Yarmouk era lar de mais de 160 mil refugiados palestinos. Entretanto, desde dezembro de 2012, os confrontos resultaram na fuga de ao menos 140 mil deles. Enquanto as forças rebeldes estabeleceram forte presença na área, as tropas aliadas ao governo sírio ficaram com o controle das zonas periféricas.

“A UNRWA segue preocupada com a situação desesperadora dos residentes de Yarmouk”, continuou Gunness, que voltou a dizer que a violência armada impede os esforços humanitários para ajudar os civis. “Pedimos a todos resolvam suas diferenças através de meios pacíficos.”

Cabe assinalar que a informação foi traduzida em idioma prortuguês e divulgara pela ONU Brasil, no dia 22 de abril.