Etiquetas

,

Residentes de Yarmouk se reúnem para aguardar a distribuição de alimentos realizada pela UNRWA em janeiro de 2014. Foto: UNRWA

Residentes de Yarmouk se reúnem para aguardar a distribuição de alimentos realizada pela UNRWA em janeiro de 2014. Foto: UNRWA

Rio de Janeiro, Brasil.- A violência interrompeu novamente esforços para oferecer ajuda a um campo sitiado na periferia de Damasco,alertou neste domingo (9) a agência das Nações Unidas de assistência aos refugiados da Palestina no Oriente Médio. As Nações Unidas e outras agências humanitárias lançaram uma campanha global exigindo acesso imediato a todos os civis na Síria, país devastado pela guerra.

O porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), Christopher Gunness, disse que a ONU recebeu relatos de que, apesar de uma redução substancial na intensidade, os confrontos e bombardeios continuaram no campo de Yarmouk nos últimos dois dias.

Hostilidades em curso já impediram a UNRWA de distribuir ajuda humanitária em Yarmouk durante nove dias consecutivos”, disse ele, ressaltando a profunda preocupação da agência com a situação humanitária desesperadora no campo e o fato de que o uso contínuo de força armada tem, ao longo dos últimos nove dias, interrompido os esforços para aliviar a situação desesperadora dos civis.

A UNRWA reitera sua firme exigência de que todas as partes cessem as hostilidades e procurem resolver suas diferenças por meios exclusivamente pacíficos”, disse Gunness, acrescentando que a Agência pediu a todas as partes interessadas que permitam e facilitem a retomada da distribuição de alimentos para os civis dentro de Yarmouk imediatamente.

O apelo vem em conjunto com o comunicado da UNRWA e outras agências humanitárias mais cedo exigindo “o acesso humanitário imediato, seguro, substancial e permanente para todos os civis na Síria, incluindo inúmeras crianças”.

A declaração é assinada por 130 organizações, incluindo as principais agências da ONU e organizações não governamentais internacionais, juntamente com outros grupos menores, com profundo alcance nas comunidades locais, disse a UNRWA.

Ela exorta “todas as partes no terreno a ouvir a voz da comunidade internacional, como expressa por unanimidade pelo Conselho de Segurança [da ONU] e a agir agora para deter a marcha da morte, ferimentos, fome e sofrimento”.

Faz ainda uma chamada para os líderes mundiais no terceiro aniversário do início do conflito: “Não deixem que as pessoas na Síria, crianças e famílias, percam mais um ano para o derramamento de sangue e para o sofrimento, violando as leis mais fundamentais da guerra”.

A ação é parte de uma campanha nas redes sociais — #LetUsThrough — que pretende alcançar 23 milhões de pessoas. Uma ação de conscientização concentrada será realizada no dia 18 de março. A campanha vai reunir trabalhadores humanitários de todo o mundo, enviando uma mensagem diplomática poderosa, mas também um sinal de solidariedade para todos os civis na Síria.

Cabe assinalar que a informação, traduzida em idioma português, foi divulgada no dia 10 de março pela Nações Unidas no Brasil.