Etiquetas

, , , , , ,

Atlas Brasil 2013, Desenvolvimento Humano em debate

Abaetetuba (PA), onde o PNUD atua com projeto de desenvolvimento local. Foto: Kenia Ribeiro/CNM/PNUD Brasil

Abaetetuba (PA), onde o PNUD atua com projeto de desenvolvimento local. Foto: Kenia Ribeiro/CNM/PNUD Brasil

Rio de Janeiro.- As novas políticas brasileiras de desenvolvimento público devem abordar tanto as desigualdades entre as pessoas e regiões quanto o problema da pobreza e pobreza extrema, afirmou o secretário adjunto de Relações Internacionais e Federativas da Prefeitura de São Paulo, Vicente Trevas, o quarto entrevistado da série “Atlas Brasil 2013 – Desenvolvimento Humano em debate”, promovida pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

A série de vídeos foi gravada para o “Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013”, um site de consulta ao Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e a mais de 200 indicadores socioeconômicos dos estados e municípios brasileiros. A plataforma possui dados dos censos demográficos de 2010, 2000 e 1991, além de informações dos 5.565 municípios brasileiros.

Trevas acredita que o problema das desigualdades sociais e regionais é uma questão estruturante da História do Brasil e que os indicadores socioeconômicos são ferramentas importantes para resolver esse problema.

Um grande risco da gestão pública é tratar igualmente os desiguais”, disse. “A partir desses indicadores de saúde, educação, renda e vulnerabilidade eu posso construir uma tipologia dos municípios. Por exemplo, os municípios de maior vulnerabilidade social (…); para esses municípios, o governo federal, o governo dos estados e os próprios municípios vão tentar construir programas, ações adequadas a essa condição”, completou.

O acesso aos dados socioeconômicos é uma forma de fortalecer a participação popular na gestão das cidades, afirma o secretário, que defende que o conhecimento da realidade em números é uma ferramenta “para transformar a reivindicação em política pública”.

As entrevistas para a série “Atlas Brasil 2013 – Desenvolvimento Humano em debate” possuem temas variados que englobam cidadania, transparência política, gestão pública e indicadores municipais.

Elas foram gravadas com representantes de governos estaduais e municipais, de organizações não governamentais, do setor privado e da academia para demonstrar como os indicadores de desenvolvimento humano podem colaborar para fortalecer a sociedade, orientar que caminhos tomar e provocar reflexões sobre os rumos do desenvolvimento humano no país.

Para saber o que o assessor da Secretaria-Geral do Estado de Minas Gerais, Antônio Claret, falou sobre a importância dos indicadores para a construção de políticas públicas.

cabe assinalar que a informação foi divulgada pela ONU Brasil no dia 25 de fevereiro.