Foto ONU

Foto ONU

Rio de Janeiro, Brasil.- O escritório da ONU para os direitos humanos pediu ao governo iraniano na sexta-feira (21) para suspender imediatamente as execuções das penas de morte, após relatos de que 80, e possivelmente até 95, pessoas foram mortas somente no início deste ano.

Lamentamos que o novo governo não tenha mudado sua abordagem para com a pena de morte e continue impondo a pena capital para uma ampla gama de delitos”, afirmou a porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH), Ravina Shamdasani, acrescentando que o escritório entende que o governo deve suspender as execuções e instituir uma moratória.

Shamdasani disse que a maioria das execuções foi por crimes relacionados às drogas, que não estão incluídos na lista de “crimes mais graves” no direito internacional. Alguns indivíduos também foram executados em segredo e outros sete em público, alertou a porta-voz.

C11 Foto ONU             -   -O ACNUDH está especialmente preocupado com as execuções em segredo de Hadi Rashedi e Hashem Sha’bani Amouri, ambos membros da comunidade árabe Ahwaz. Shamdasani disse que as penas de morte teriam sido cumpridas em janeiro após um processo que não atendeu aos padrões de julgamento justo.

Os dois homens teriam sido sentenciados à morte por acusações mal definidas de “inimizade contra Deus” (Moharebeh), corrupção (Mofsid fil-arz) e atos contra a segurança nacional.

Eles teriam tido acesso negado a advogados e a suas famílias durante os primeiros nove meses de detenção e foram supostamente sujeitos a tortura para forçar confissões”, afirmou Shamdasani.

O ACNUDH acrescentou que houve um aumento “notável” nas execuções, inclusive de presos políticos e de indivíduos pertencentes a grupos étnicos minoritários, no segundo semestre de 2013. Pelo menos 500 pessoas foram executadas no ano passado, incluindo 57 em público. De acordo com algumas fontes, esse número pode chegar a 625 pessoas.

É preciso dizer que a informação foi traduzida e divulgada no dia 24 de fevereiro pela ONU Brasil.