Foto: ONU/Violaine Martin

Foto: ONU/Violaine Martin

Rio de janeiro, Brasil.- A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) pediu a investigação pela morte do jornalista Gregorio Jiménez de la Cruz, no México.

Condeno o assassinato de Gregorio Jiménez de la Cruz”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova na terça-feira (18). “É essencial que as autoridades façam tudo que estiver ao seu alcance para levar os responsáveis por esse crime a julgamento.”

Bokova afirmou ainda que “a segurança de jornalistas depende amplamente da habilidade do Judiciário para punir aqueles que usam da violência para suprimir a liberdade de imprensa e limitar o direito dos cidadãos a serem bem informados”.

Repórter policial do NotiSUR e do Liberal del Sur, Jiménez de la Cruz foi sequestrado por homens armados no dia 5 de fevereiro na cidade de Las Choapas, em Veracruz. Seu corpo foi encontrado seis dias depois. Ele é o quarto jornalista morto no país desde janeiro de 2013.

Cabe assinalar que a informação foi divulgada no dia 21 de fevereiro, em idioma português, pela Onu Brasil.