Sistema de transporte público financiado pelo Banco Mundial em Bogotá. Foto: Banco Mundial/Isabelle Schaefer

Sistema de transporte público financiado pelo Banco Mundial em Bogotá. Foto: Banco Mundial/Isabelle Schaefer

Rio de Janeiro, Brasil.- Os deslocamentos de casa para o trabalho e do trabalho para casa chegam a custar até duas horas de salário para os latino-americanos que perdem entre três e quatro horas do dia nesses trajetos. O dado foi apresentado em janeiro por especialistas em evento copatrocinado pelo Banco Mundial, em Washington, Estados Unidos, para debater melhorias no transporte público. A agência da ONU tem financiado projetos no setor em diversos países.

Cabe assinalar que a informação foi traduzida e divulgada pela ONU Brasil no dia 3 de fevereiro.

Entre as iniciativas apoiadas está o BRT, ônibus que operam em faixas exclusivas, oferecendo um serviço mais veloz e seguro aos usuários, resultando também em economia de dinheiro para os passageiros.

De acordo com o programa de transporte urbano sustentável e planejamento do Instituto de Recursos Mundiais, 56 cidades da América Latina já contam com esse sistema, o que representa um terço dos mais de 4 mil quilômetros de corredores destinados ao BRT em todo o mundo. A região transporta 60% dos usuários desse sistema – são 19 milhões de pessoas por dia.