Reunião do Conselho de Segurança da ONU. Foto: ONU/Paulo Filgueiras


Reunião do Conselho de Segurança da ONU. Foto: ONU/Paulo Filgueiras

Rio de Janeiro, Brasil.- Pelo menos quatro pessoas morreram e dezenas ficaram feridas após um atentado suicida em um posto de gasolina na cidade de Hermel, no Líbano, perto da fronteira com a Síria, no sábado (1). Tanto o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, quanto o Conselho de Segurança da Organização emitiram comunicados condenando veemente o ato “hediondo” e pedindo que os culpados sejam levados à justiça.

Cabe assinalar que a informação foi divulgada no dia 3 de fevereiro pela ONU Brasil.

O atentado de sábado foi o mais recente numa nova onda de ataques mortais no Líbano. O incidente anterior foi em 21 de janeiro, quando quatro pessoas morreram e outras ficaram feridas após uma explosão em um subúrbio no sul da capital, Beirute.

O Conselho de Segurança da ONU pediu que todos os libaneses preservem a unidade nacional diante das tentativas de minar a estabilidade do país e ressaltou “a importância para todos os partidos do país de respeitar a política do Líbano de dissociação e absterem-se de qualquer envolvimento na crise da Síria, de acordo com o seu compromisso na Declaração de Baabda”.

Já o secretário-geral afirmou que a recente onda de violência no Líbano é preocupante e reiterou seu apelo para que todos os libaneses apoiem suas instituições estatais, incluindo as Forças Armadas e de segurança, para confrontar tais ações e salvaguardar a segurança e a estabilidade do país.