Criança síria recebe dose de vacina contra a pólio. Foto: UNICEF/Halabi


Criança síria recebe dose de vacina contra a pólio. Foto: UNICEF/Halabi

Rio de Janeiro.- A Organização Mundial da Saúde (OMS) entregou mais de 125 toneladas de equipamentos médicos e remédios na cidade de Aleppo, na Síria, entre os dias 24 de dezembro e 3 de janeiro. Áreas controladas tanto pelo governo quanto pela oposição receberam materiais cirúrgicos, medicamentos para tratar doenças crônicas e infecciosas, incubadoras infantis, ventiladores e camas para unidades de terapia intensiva.

Segundo uma informação da ONU no Brasil, o primeiro carregamento, entregue em 24 de dezembro, continha 26 toneladas de suprimentos médicos para tratar mais de 55 mil pacientes. A segunda remessa continha 80 toneladas, suficientes para mais de 213 mil pessoas. Os produtos foram entregues a organizações não governamentais, autoridades locais e à Sociedade do Crescente Vermelho Sírio.

Outros cerca de 118 mil pacientes poderão ser tratados em Aleppo com as 20 toneladas de suprimentos entregue anteriormente ao Ministério da Saúde.

Desde o início do conflito, em março de 2011, a situação da saúde na Síria vem se deteriorando com a falta de medicamentos e profissionais, destruição de instalações médicas e dificuldade de acesso a hospitais. O custo dos medicamentos aumentou muito e ficou inviável para muitos sírios, principalmente aqueles que moram na área rural.

No ano passado, a OMS enviou suprimentos médicos para 4,6 milhões de pessoas no país, apoiou a construção de clínicas móveis e treinou quase 2,5 mil trabalhadores de saúde locais sobre doenças infecciosas e resposta a surtos, perigo químico, vigilância, desnutrição e saúde mental. A agência da ONU também criou um sistema que detecta os primeiros sinais de surto de doenças, evitando sua propagação.