Foto: Doha Centre for Media Freedom via site da UNESCO

Foto: Doha Centre for Media Freedom via site da UNESCO

Rio de Janeiro, Brasil.- A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, disse estar alarmada com as mortes de seis profissionais de mídia em dois incidentes no Iraque durante o mês de dezembro. Ela pediu que o governo tome medidas para que os responsáveis sejam levados à justiça.

A escalada da violência contra a mídia no Iraque é intolerável uma vez que representa uma ameaça grave para a reconciliação nacional e a reconstrução [do país]“, disse na sexta-feira (3).

Repórter da rádio Voz de Ramadi, Omar Al-Dulaimy foi morto no dia 31 enquanto cobria os confrontos armados na cidade de Ramadi, a oeste de Bagdá.

Já um ataque suicida contra a sede da TV Salaheddin em Tikrit no dia 23 matou o editor-chefe de notícias, Raad Yassin; o produtor Jamal Abdel Nasser; o cinegrafista Mohamed Ahmad Al-Khatib; o apresentador Wissam Al-Azzawi e o gerente de arquivos Mohamed Abdel Hamid.

Após esses dois incidentes, sobe para 15 o número de mortes condenadas por Bokova no país desde o início de 2013. Uma lista completa dos jornalistas cujas mortes foram denunciadas pela UNESCO está disponível online.

Cabe assinalar que a informação foi divulgada pela ONU Brasil, em idioma português, no dia 6 de janeiro.