Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Rio de Janeiro, Brasil.- Evento de pré-lançamento da campanha global de conscientização sobre o HIV do Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV/Aids (UNAIDS), Proteja o Gol, contou com a participação de convidados internacionais como Ndaba e Kweku Mandeila, netos de Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz, e do ator e diretor de Hollywood Richard Grant.

Cabe assinalar que a informação foi traduzida e divulgada no dia 5 de dezembro pela Nações Unidas no Brasil.

O evento foi realizado no Forte de São Diogo, Salvador, com as presenças do prefeito da cidade, Antônio Carlos Magalhães Neto, do chefe de gabinete da SECOPA, Jorge Wilton, da assessora de cooperação internacional do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Cristina Raposo, da coordenadora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga Orillard e do assessor sênior ao diretor executivo do UNAIDS, Djibril Diallo.

Proteja o Gol utilizará o poder de mobilização do esporte para promover ações de conscientização sobre o HIV durante o mundial de futebol sediado pelo Brasil no próximo ano.

A Bahia foi escolhida para sediar a campanha global. O slogan da campanha, “De Soweto a Salvador”, ilustra o elo histórico e cultural que a cidade tem com a África e ressalta a continuidade da campanha iniciada na África do Sul na Copa do Mundo da FIFA de 2010.

Em todo o mundo, 35,3 milhões de pessoas vivem com o HIV. No Brasil, aproximadamente 718 mil pessoas vivem com o vírus. O Estado da Bahia tem aproximadamente 100 novos casos de aids por mês. No estado, houve 509 mortes por aids em 2012.

Cerca de 4,6 milhões de jovens entre 15 e 24 anos de idade vivem hoje com o HIV, vários deles não têm acesso ao tratamento, ou sequer conhecem o seu estado sorológico” afirmou Djibril Diallo. “O diagnóstico e tratamento precoce são fundamentais para salvar essas vidas”.

Dados lançados recentemente mostram que a juventude é uma das camadas da população cada vez mais impactada pela epidemia.

Proteja o Gol é uma campanha que vai tocar o público jovem para falar de aids e sexualidade sem tabu e de forma positiva”, explicou Georgiana Braga Orillard.

No âmbito da campanha, o Ministério da Saúde ofertará testagem rápida e aconselhamento por meio de unidades móveis disponíveis (trailers) nas 12 cidades-sede. Essas unidades funcionarão como verdadeiros centros de encontro enquanto diversos grupos parceiros estabelecerão trabalhos conjuntos para a mobilização da população.

Futebol é uma paixao nacional, e usá-lo como veículo de informações sobre prevenção para a juventude, um dos grupos mais vulneraveis à epidemia, faz com que esse projeto seja promessa de um grande sucesso” afirma o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita.

A iniciativa brasileira é resultado da parceria entre o UNAIDS, o Ministério da Saúde, o Governo do Estado da Bahia e o Município de Salvador.

Entre as atividades previstas durante a campanha no próximo ano estão futebol de rua, visando oferecer uma atenção especial para jovens de comunidades em situação de vulnerabilidade; distribuição de cerca de 2 milhões de preservativos; engajamento de estrelas do esporte e intervenções artísticas.

Outros parceiros da campanha Proteja o Gol são: Secretaria Especial para Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, Ministério do Esporte, Governo do Distrito Federal, Fundação Tobeka Madiba Zuma da África do Sul, Associação Nacional de Prefeitos e Vice-prefeitos do Brasil, Frente Nacional de Prefeitos do Brasil, Conselho Nacional da Juventude do Brasil, Confederações Continentais de Futebol da FIFA e Pereira & O’Dell, Estados Unidos.

UNAIDS
O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids une os esforços de 11 agências da ONU: Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Fundo das Nações Unidas para a Infância, Programa Mundial de Alimentos, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Fundo de População das Nações Unidas, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, Organização Internacional do Trabalho, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Organização Mundial da Saúde e Banco Mundial.