Membros da delegação palestina durante reunião especial sobre o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo da Palestina. Foto: ONU/Paulo Filgueiras

Membros da delegação palestina durante reunião especial sobre o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo da Palestina. Foto: ONU/Paulo Filgueiras

Rio de Janeiro. – Comissários das Nações Unidas expressaram nesta segunda-feira (25) solidariedade com o povo da Palestina em seu desejo por independência e soberania, e ressaltaram a importância das negociações de paz em andamento para uma solução de dois Estados.

Não podemos nos dar o luxo de perder o atual momento de oportunidade”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em mensagem sobre o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo da Palestina. “Peço a todos na comunidade internacional para trabalhar juntos para traduzir a solidariedade expressada nesta ocasião em uma ação positiva pela paz e a justiça.”

A reunião especial realizada na sede da ONU aconteceu em antecipação à data, celebrada anualmente em 29 de novembro, em função do dia, em 1947, em que a Assembleia Geral adotou uma resolução de particionamento da Palestina em dois estados, um judeu e outro árabe.

Após décadas de negociações e desenvolvimentos adversos “demais”, o secretário-geral pediu aos líderes palestinos e israelenses que tomem as decisões que darão início a uma solução política para o conflito grave e de longa data. “O objetivo permanece claro: um fim à ocupação que começou em 1967 e a criação de um Estado da Palestina soberano, independente e viável, baseado nas fronteiras de 1967, vivendo lado a lado e em paz com um Estado seguro de Israel”, disse Ban.

O Presidente do Comitê das Nações Unidas sobre o Exercício dos Direitos Inalienáveis do Povo Palestino, Abdou Salam Diallo, pediu à comunidade internacional para aproveitar “o que parece ser uma das últimas oportunidades” para promover uma solução negociada. “O tempo está se esgotando. O processo de negociação está em perigo por certas políticas e, particularmente, pela criação contínua de assentamentos judeus”, disse.

Israelenses e palestinos retomaram negociações diretas em agosto, graças aos esforços do secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, após um hiato de três anos, por causa da recusa de Israel de estender o congelamento da atividade de assentamento no território ocupado da Palestina.

Cabe assinalar que la informação, traduzida em idioma português, foi divulgada pela ONU Brasil no dia 26 de novembro.