Ex-Beatle divulga carta que enviou ao presidente russo pedindo a libertação dos ativistas presos. 3o Ato Global em solidariedade ao grupo acontece no próximo sábado, 16.

Foto GreenpeaceSão Paulo, Brasil– A mobilização pelos 30 do Ártico continua crescendo. O novo apoio veio do ex-Beatle Paul McCartney, que publicou hoje (14) carta enviada a Vladimir Putin pedindo a libertação dos vinte oito ativistas do Greenpeace e dois jornalistas freelancers presos desde 19 de setembro na Rússia após protesto pacífico contra a exploração de petróleo no Ártico.

Segundo nota do Greenpeace Brasil do 14 de novembro, o ex-Beatle é muito popular na Rússia – e com Vladimir Putin também. Em 2003 ele se apresentou para mais de 100 mil pessoas, incluindo o presidente, na Praça Vermelha, em Moscou. Antes do show, Paul foi levado a um tour pessoal com o presidente no Kremlin, e ouviu dele: “Você é amado aqui [na Rússia]”.

Em sua carta, Paul faz um apelo para que os presos possam voltar a ver suas famílias: “Há quarenta e cinco anos escrevi uma música sobre a Rússia para o Álbum Branco (‘White Album’), numa época em que os ingleses não se inclinavam tanto a elogiar seu país. Essa música tinha uma das passagens mais bonitas dos Beatles: ‘Been away so long I hardly knew the place, gee it’s good to be back home’ (ou ‘Estive longe por tanto tempo que mal reconhecia onde estava, nossa é bom estar de volta em casa’, em tradução livre). Você poderia realizar isso para os prisioneiros do Greenpeace?”.

A sociedade civil voltará a se manifestar dia 16 de novembro, data escolhida pelo Greenpeace para o terceiro Ato Global pelos 30 do Ártico, a ser realizado em diversas cidades de dezenas de países. No Brasil, o ato acontece em Porto Alegre, cidade natal da ativista Ana Paula Maciel, e será aberto a todos que tiverem interesse em somar vozes para esse coro. Haverá uma cela de 2x2m representando a prisão dos ativistas e as pessoas também poderão deixar mensagens que serão encaminhadas aos mesmos.