Mulher em Madagascar leva seu filho para checar sua saúde em hospital. Foto: UNFPA.

Mulher em Madagascar leva seu filho para checar sua saúde em hospital. Foto: UNFPA.

Rio de Janeiro, Brasil – A pneumonia é o principal motivo da morte de crianças com menos de cinco anos de idade em todo o mundo.Por isso, no Dia Mundial da Pneumonia – celebrado em 12 de novembro – a ONU e parceiros chamaram a atenção para ações essenciais que podem ajudar a acabar com as mortes infantis causadas pela doença.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a parceria pública-privada Aliança GAVI, a pneumonia tira a vida de mais de um milhão de meninas e meninos a cada ano, apesar de que as mortes pela doença podem ser evitadas.

A cada 30 segundos uma criança com menos de cinco anos morre de pneumonia. Isto é terrível, porque sabemos o que é preciso para impedir que as crianças morram desta doença”, disse o diretor de saúde do UNICEF, Mickey Chopra.

Muitos fatores contribuem para a pneumonia e nenhuma intervenção pode efetivamente prevenir, tratar e controlar a doença, declaram os parceiros. No entanto, eles observam que ações simples, porém eficazes, se implementadas corretamente, ajudam a reduzir seu perigo: o aleitamento materno exclusivo durante os seis primeiros meses e a amamentação contínua complementada com alimentos sólidos nutritivos até os dois anos de idade; a vacinação contra a coqueluche, o sarampo, Haemophilus influenzae B (Hib) e o pneumococo; água potável, instalações sanitárias e de lavagem das mãos adequadas; fogões que não poluam o ar  interno das casas; e acesso a tratamento, incluindo comprimidos dispersíveis de amoxicilina e oxigênio.

Para marcar o Dia deste ano, cujo tema é “Inovar para Acabar com a Pneumonia Infantil”, a Mauritânia e a Papua Nova Guiné introduzem a vacina pneumocócica, que protege contra uma das principais causas de pneumonia. Com o apoio da Aliança GAVI, mais de 50 países começarão a aplicar esta vacina em 2015.

Cabe assinalar que a informação foi traduzida e divulgada pela ONU Brasil no dia 13 de novembro.