Avião de carga C-130 pousa na cidade de Tacloban, nas Filipinas. Foto: Forças Armadas das Filipinas.

Avião de carga C-130 pousa na cidade de Tacloban, nas Filipinas. Foto: Forças Armadas das Filipinas.

Rio de Janeiro, Brasil.- O Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) liberou hoje (11) 25 milhões de dólares do Fundo Central de Resposta de Emergência das Nações Unidas (CERF) em resposta à devastação causada nas Filipinas, no final de semana, por um supertufão.

Cabe assinalar que a informação foi traduzida e divulgada, em idioma português, pela ONU Brasil.

Haiyan, conhecido localmente como Yolanda, é o maior tufão registrado em quase um século e, de acordo com o escritório da ONU para assuntos humanitários, afetou cerca de 9,8 milhões de pessoas e deslocou 660 mil. Funcionários locais estimam 10 mil mortos, mas a contagem pode ampliar conforme a ajuda humanitária chegue às comunidades atingidas.

De acordo com o OCHA, agências da ONU e a Organização Internacional para as Migrações (OIM), os recursos do CERF serão destinados para assistência alimentar, abastecimento de materiais em abrigos e utensílios domésticos, ajuda com a prestação de serviços de saúde de emergência, abastecimento de água potável e instalações sanitárias para os mais vulneráveis.

Estamos focados, em primeiro lugar, na demanda por comida, abrigos e suporte médico, para prevenir desastres de saúde pública”, afirmou o diretor de operações do OCHA, John Ging. Um dos desafios é superar limitações logísticas, devido aos danos à infraestrutura, estradas e aeroportos. “A escala da devastação também impacta a capacidade de levar ajuda às pessoas que mais precisam. Água potável é uma grande prioridade no momento.”

A coordenadora de ajuda de emergência da ONU, Valerie Amos, deve chegar ao país amanhã para lançar um apelo urgente na capital, Manila.