Celebrarão Dia Nacional de Prevenção à Lavagem de Dinheiro

 

Imagem da ONU

Imagem da ONU

Rio de Janeiro, Brasil.- O 29 de outubro, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e as instituições brasileiras que compõem a Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA) celebrarão o Dia Nacional de Prevenção à Lavagem de Dinheiro. O objetivo é promover a cultura de legalidade e conscientizar a sociedade sobre os problemas gerados esse crime.

O  público  não  sabe  que  por  trás  da lavagem de dinheiro está o crime organizado  transnacional, o tráfico de drogas, o tráfico de armas, o tráfico de pessoas e a corrupção”, afirmou o representante do Escritório de Ligação e Parceria do UNODC no Brasil, Rafael Franzini.

Este é um crime que aparenta não ter vítimas, por isso é importante conscientizarmos todo o público brasileiro – sociedade civil, setor privado e governo – para que todos saibam que a lavagem de dinheiro permite aos criminosos desfrutar de suas riquezas ilegais e empreender novos negócios ilícitos.”

Segundo nota remitida pela ONU Brasil, o dia 28 de outubro, o valor estimado de dinheiro lavado anualmente no mundo está entre 2% e 5% do PIB mundial, ou seja, algo entre US$ 800 bilhões e US$ 2 trilhões. Os recursos obtidos com a lavagem de dinheiro fomentam a criação de uma cultura de dinheiro fácil que se alojou na sociedade, criando situações de insegurança, ameaças, extorsão e corrupção. 

A cada ano, esses recursos ilícitos asseguram o crescimento de grupos criminosos, a expulsão de seus concorrentes do mercado, o aumento de preço de bens e serviços, assim como a intimidação da população.

A  campanha para marcar o Dia Nacional de Prevenção à Lavagem de Dinheiro foi criada por uma parceria do escritório do UNODC na Colômbia com a Organização Negócios Seguros e Responsáveis (NRS). Ela está sendo realizada em vários países da América do Sul, com o apoio da Comissão Interamericana para o Controle do Abuso de Drogas da Organização dos Estados Americanos (CICAD/OEA) e do Grupo de Ação Financeira da América do Sul contra Lavagem de Dinheiro (GAFISUD).