Foto: ONU/Kibae Park

Foto: ONU/Kibae Park

Rio de Janeiro, Brasil.- A agência especializada em câncer que integra a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta quinta-feira (17) que a poluição do ar é uma das principais causas ambientais de morte por câncer. Por meio de uma avaliação do Programa de Monografias da Agência Internacional para Pesquisa sobre o Câncer (IARC, na sigla em inglês) foram encontradas evidências suficientes de que a exposição ao ar poluído causa câncer de pulmão e aumenta o risco de câncer de bexiga.

Em um comunicado, a IARC apontou que a poluição do ar já é conhecida por aumentar os riscos de desenvolvimento de uma ampla gama de enfermidades, como doenças respiratórias e cardíacas. Estudos indicam que nos últimos anos os níveis de exposição aumentaram significativamente em algumas partes do mundo, particularmente nos países muito populosos e com rápido processo de industrialização. Os dados mais recentes indicam que, em 2010, 223 mil mortes por câncer de pulmão foram resultado da poluição do ar.

No passado, o programa avaliou vários produtos químicos e misturas específicas que ajudam na poluição do ar. Estes incluíram escape de motores a diesel, solventes, metais e poeiras. No entanto, esta é a primeira vez que os especialistas classificaram a poluição do ar como uma causa da doença.

As principais fontes de poluição do ar são o transporte, a geração estacionária de energia, as emissões industriais e agrícolas, aquecimento residencial e a ação de cozinhar. Também há alguns poluentes com fontes naturais.

Classificar a poluição do ar como cancerígena para os seres humanos é um passo importante”, disse o diretor da IARC, Christopher Wild. “Há maneiras eficazes de reduzir a poluição do ar e, dada a escala da exposição que afeta pessoas em todo o mundo, este relatório deve enviar um sinal significativo para a comunidade internacional agir sem demora”, acrescentou.

Cabe assinalar que a informação foi traduzida e divulgada no dia 18 de outubro pela ONU Brasil.