Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

Rio de Janeiro, Brasil.- Estados Unidos, Brasil e Venezuela são os três Estados-membros das Nações Unidas que mais estão devendo ao orçamento regular da Organização deste ano, informou o subsecretário-geral de Administração da ONU, Yukio Takasu, nesta quarta-feira (9). Os países devem, respectivamente, 795 milhões dólares, 75 milhões e 22 milhões.

A situação financeira das Nações Unidas como um todo é boa. No entanto, ela é bastante apertada para o orçamento regular”, disse Takasu, acrescentando que o saldo no fim do ano deve ser positivo, mas atualmente “quantidades significativas continuam tendo que ser pagas”.

O orçamento regular da ONU é de 2,6 bilhões de dólares anuais. Até o mês de outubro, 36% dessa quantia ainda não havia sido paga, o que corresponde a 945 milhões de dólares.

Além de Estados Unidos, Brasil e Venezuela, outros 56 Estados-membros devem 53 milhões dólares para o orçamento regular das Nações Unidas, ressaltou Takasu. O subsecretário-geral observou, no entanto, que em setembro os Estados Unidos pagaram 1,56 bilhão de dólares para operações da ONU de manutenção de paz.

O subsecretário-geral também informou que faltam 3,4 bilhões de dólares a serem pagos para as operações de paz. Em 2012, esse número era de 1,3 bilhão. Porém, segundo Takasu, isso não é alarmante, visto que a escala de avaliação mudou e os Estados-membros só foram avisados em janeiro, atrasando o cronograma de pagamento.

Cálculo e destino das contribuições

O orçamento regular da ONU cobre os custos de programas das Nações Unidas em áreas como assuntos políticos, justiça e direito internacional, cooperação internacional para o desenvolvimento, informação pública, direitos humanos e assuntos humanitários.

A principal fonte de recursos para este orçamento são as contribuições dos Estados-membros. A escala de avaliação se baseia na capacidade dos países de pagar. Isso é determinado considerando suas participações relativas ao Produto Nacional Bruto (PNB), ajustado para levar em conta uma série de fatores, incluindo a renda per capita.

Além do orçamento ordinário, os Estados-membros são avaliados pelos custos dos tribunais internacionais e, de acordo com uma versão modificada da escala básica, pelos custos das operações de manutenção da paz.

Cabe assinalar que a informação foi divulgada, em idioma português, nesta quinta-feira, 10 de outubro, pela ONUBR.