Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Rio de Janeiro, Brasil.- O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, destacou nesta terça-feira (8) a importância dos profissionais de imprensa no apoio aos esforços para aumentar o diálogo e o entendimento no Oriente Médio.

Em mensagem ao Seminário Internacional de Mídia sobre a Paz no Oriente Médio, promovido em Istambul pelo Departamento de Informação Pública da ONU (DPI) em parceria com o Ministério das Relações Exteriores da Turquia, Ban afirmou que jornalistas, ativistas, políticos e representantes da sociedade civil “têm desempenhado um papel vital na promoção da transparência, responsabilização e democracia”.

Peço que continuem promovendo a paz e aumentando a compreensão mútua entre as comunidades, principalmente palestinos e israelenses”, acrescentou Ban no pronunciamento lido pelo subsecretário-geral da ONU para Comunicação e Informação Pública, Peter Launsky-Tieffenthal.

O evento de dois dias é parte de um projeto anual estabelecido pela Assembleia Geral da ONU em 1991 para avaliar o papel da mídia no avanço dos esforços de paz.

O coordenador especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Robert Serry, advertiu em discurso que as violações do direito internacional e os riscos da violência prejudicam os esforços na construção de confiança necessária para as negociações de paz. Serry disse que em Gaza a situação permanece “precária e insustentável”. Em particular, o coordenador especial destacou o “crescente déficit de eletricidade”, uma consequência da infraestrutura de energia obsoleta e da falta de combustível por causa do fechamento de túneis ilegais.

Serry ressaltou que os jornalistas têm um “papel especial” a ser desempenhado no processo de paz, que é a construção de um canal de comunicação para tentar trazer uma melhor compreensão da narrativa do outro.

Os paineis de discussão do seminário deste ano estão concentrados no “Processo de paz do Oriente Médio e a abordagem da mídia para a questão da Palestina”; “Discursos esquecidos: os refugiados palestinos e a agenda da mídia hoje”; “Jovens ativistas no Oriente Médio, mídia digital e mídias sociais” e “O papel e os efeitos da mídia visual na questão da Palestina na disputa israelense-palestina”.

Cabe dizer que a informação foi divulgada nas ultimas hora , em idioma português, pela ONU Brasil.