Três crianças refugiadas sírias exploram o novo acampamento em Darashakran, no norte do Iraque. Foto: ACNUR/L. Veide

Três crianças refugiadas sírias exploram o novo acampamento em Darashakran, no norte do Iraque. Foto: ACNUR/L. Veide

Rio de Janeiro, Brasil.- Agências das Nações Unidas esperam ganhar mais acesso humanitário e alcançar assim milhões de pessoas na Síria afetadas pela guerra civil, após o apelo do Conselho de Segurança da ONU feito esta semana ao Governo para permitir imediatamente o fornecimento de ajuda em diversas linhas de frente.

Cabe assinalar que, a informação, traduzida no idioma português, foi divulgada nas ultimas hora pela ONU Brasil.

A Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR) afirmou, no entanto, que ainda era “muito cedo” para avaliar a resposta do Governo ao pedido do Conselho, realizado por meio de uma declaração presidencial que também pede a as partes em conflito que cheguem a um acordo sobre uma pausa humanitária nos combates, incluindo rotas-chave para a passagem segura de comboios com ajuda humanitária.

Em entrevista coletiva em Genebra nesta semana, a porta-voz do ACNUR, Melissa Fleming, disse que a agência recebeu até o momento apenas 47% dos 1,5 bilhão de dólares necessários para ajudar os 2 milhões de refugiados sírios que fugiram para países vizinhos por causa do conflito, que também deslocou cerca de 4,5 milhões de pessoas internamente.

Mais de 100 mil pessoas foram mortas desde que o início dos combates entre grupos do governo e da oposição, em março de 2011.

Na quarta-feira (2), o Conselho de Segurança declarou estar “chocado” com o aprofundamento da tragédia humanitária na Síria. “A magnitude da tragédia humanitária causada pelo conflito na Síria exige uma ação imediata para facilitar a entrega segura e sem obstáculos de ajuda humanitária em todo o país”, afirmou o órgão de 15 membros na declaração presidencial.