Um teste nuclear atmosférico é realizado pelos Estado Unidos em Enewetak, nas Ilhas Marshall, em 1º de novembro de 1920. Foto: Governo dos Estados Unidos

Um teste nuclear atmosférico é realizado pelos Estado Unidos em Enewetak, nas Ilhas Marshall, em 1º de novembro de 1920. Foto: Governo dos Estados Unidos

Rio de Janeiro, Brasil.-Funcionários do alto escalão das Nações Unidas apelaram nesta quinta-feira (26) para que os Estados-membros tomem medidas renovadas para livrar o mundo das armas nucleares, durante a primeira reunião de alto nível já realizada pela Assembleia Geral da organização dedicada a esta questão.

Alguns podem reclamar que o desarmamento nuclear não passa de um sonho, mas isso ignora todos os benefícios tangíveis que o desarmamento traria para a humanidade”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na reunião realizada em paralelo ao debate geral da Assembleia.

O sucesso [do desarmamento] fortaleceria a paz e a segurança internacionais. Liberaria recursos muito necessários para o desenvolvimento social e econômico. Avançaria no Estado de Direito. Pouparia o meio ambiente e ajudaria a manter materiais nucleares longe de grupos terroristas ou extremistas. Removeria uma camada de medo que ofusca toda a existência humana.”

Hoje, eu reitero meu pedido à Coreia do Norte para demonstrar seu compromisso com a desnuclearização”, disse ele. “Peço ao Irã que cumpra sua promessa de aumentar a transparência do seu programa nuclear”.

O secretário-geral também pediu aos países que ainda não aderiram ao Tratado apoiado pela ONU sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares que o façam, bem como o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares.

O presidente da Assembleia Geral, John Ashe, lembrou aos Estados-membros o vínculo entre a agenda de desenvolvimento pós-2015 e do desarmamento nuclear, enfatizando que menos recursos para os estoques de armas significam mais recursos para o desenvolvimento.

Nós desviamos os recursos da educação, saúde, redução da pobreza e da meta geral de avançar para um desenvolvimento mais sustentável para investir tempo, verba e energia na manutenção e expansão deste, cada vez mais complexo, armamento”, disse Ashe.

Cabe assinalar que a informação foi traduzida no idioma português e fornecida pela ONU Brasil.