Leste de Jerusalém. Foto: IRIN/Shabtai Gold

Leste de Jerusalém. Foto: IRIN/Shabtai Gold

Rio de Janeiro, Brasil.- Mais de 8 mil famílias no território ocupado da Palestina receberão empregos e empréstimos para pequenos empreendimentos, disse a agência de desenvolvimento das Nações Unidas na segunda-feira (6), como parte de uma parceria implementada com a Autoridade Palestina e financiada pelo Banco Islâmico de Desenvolvimento.

50 milhões de dólares irão para o projeto em curso do Programa de Empoderamento Econômico para Famílias Desfavorecidas (em inglês, DEEP), uma iniciativa que mudou a vida de milhares de famílias palestinas com dificuldades financeiras, ajudando os membros da família a se tornarem autossuficientes”, diz um comunicado do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Cabe assinalar que, a informação foi divulgada, em idioma português, pela ONU Brasil.

O programa, que tem duração de 30 meses, trabalha com organizações não governamentais e instituições de micro finanças para prestação de serviços financeiros e não financeiros para atender as necessidades das famílias pobres na Palestina. Segundo dados da ONU, cerca de 230 mil famílias vivem abaixo da linha da pobreza no território palestino ocupado.

Desde o seu lançamento, há cinco anos, o programa criou oportunidades de emprego para 12 mil pessoas, afirmou o PNUD. Além disso, os postos de trabalho contribuíram mais de 20 milhões de dólares por ano para o produto interno bruto (PIB) da Palestina. A segunda fase do programa quer aumentar as oportunidades de trabalho e desenvolver serviços sociais públicos adicionais.

A partir de agora, essas famílias não vão ser deixadas sozinhas para afundar de volta em dificuldades”, disse Frode Mauring, representante especial do PNUD na Palestina.