Brasília DF, Brasil – O papa Francisco e o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, analisaram hoje (9) um plano de emergência para enfrentar o agravamento da situação na Síria. O país está em crise há dois anos e o número de mortos e vítimas de violações de direitos humanos, segundo organizações não governamentais, aumenta. Francisco e Ban Ki-moon também conversaram sobre o risco de guerra nuclear na Península Coreana e a instabilidade na África.

Segundo informação divulgada pela Agência brasil (EBC) no dia 9 de abril, o papa e o secretário da ONU analisaram o problema do tráfico de pessoas, principalmente de mulheres, dos refugiados e dos migrantes. Na conversa, Ban Ki-moon apresentou ao papa seu plano para os próximos cinco anos de gestão, que inclui ações de prevenção a conflitos, por meio da solidariedade internacional, e para o desenvolvimento econômico sustentável.

Os dois trocaram presentes: o secretário-geral presenteou Francisco com a Carta das Nações Unidas nas seis línguas oficiais – árabe, chinês, inglês, francês, russo e espanhol. O papa, por sua vez, deu a Ki-moon um quadro em mosaico com a imagem de um dos cartões-postais de Roma.

Diz nota da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), ao final do encontro, foi divulgado um comunicado sobre a conversa. “A reunião é uma tradição da audiência concedida pelo papa aos vários secretários-gerais das Nações Unidas. Há um apreço da Santa Sé sobre o papel central desempenhado pela organização na preservação da paz no mundo, para promover o bem comum da humanidade e a defesa dos direitos humanos fundamentais”,diz o texto.

Após a reunião com o papa, Ban Ki-moon teve encontros com o secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, e o secretário para as Relações com os Estados (equivalente ao ministro das Relações Exteriores), dom Antoine Camilleri.