Pessoas deslocadas internamente na República Centro Africana. Foto: OCHA/Laura Fultang

Pessoas deslocadas internamente na República Centro Africana. Foto: OCHA/Laura Fultang

Rio de Janeiro, Brasil.- O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou nesta quarta-feira (3) preocupação com a situação de insegurança em curso na República Centro-Africana e, em especial, com os relatos de graves violações de direitos humanos.

Estou extremamente preocupado com os relatos de graves violações dos direitos humanos, saques e pilhagens, ataques direcionados, estupro, recrutamento e uso de crianças-soldado em violação das normas internacionais”, afirmou Ban, em uma mensagem para a Cúpula Extraordinária da Comunidade Econômica dos Estados da África Central (CEEAC) sobre a República Centro-Africana, realizada em N’Djaména, no Chade.

Cabe assinalar que, a informação foi traduzida à idioma português e divulgada pela ONU Brasil no 4 de abril.

No mês passado, a coalizão rebelde tomou a capital, Bangui, em um conflito armado que obrigou o presidente François Bozizé a fugir. O grupo havia começado os combates em dezembro, mas um acordo de paz havia sido alcançado em 11 de janeiro, em Libreville, no Gabão.

O acordo, mediado pela CEEAC, previa um cessar-fogo e a criação de um governo de unidade nacional, em que figuras da oposição ocupariam postos-chave. Entretanto, segundo os rebeldes, o governo não cumpriu o prometido.

O Secretário-Geral ressaltou que os acordos de Libreville permanecem o quadro adequado para uma paz e estabilidade sustentáveis e renovou o seu apelo às autoridades para garantir o restabelecimento da segurança no país.

Ele também destacou a situação humanitária do país. “As dificuldades de acesso à assistência humanitária e à distribuição de sementes contribuem para a insegurança alimentar, o que pode levar à desnutrição grave nos próximos meses”, observou.