Globalmente, o produto mata 6 milhões de pessoas anualmente, dos quais 1 milhão nas Américas. No século passado, cerca de 100 milhões de pessoas morreram de causas relacionadas ao tabaco.

Lançamento da iniciativa. Foto: FIFA/Getty Images

Lançamento da iniciativa. Foto: FIFA/Getty Images

Rio de Janeiro, Brasil.- A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) saudou nesta segunda-feira (25) o anúncio de que o Copa de 2014, que ocorrerá no Brasil, será livre do tabaco.

Cabe assinalar que, a versão foi divulgada pela ONU Brasil no dia 26 de março.

Torcedores e jogadores se beneficiarão de ambientes 100% livres do fumo e do tabaco nos jogos disputados durante a Copa do Mundo de 2014, de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). O anúncio da Federação Internacional de Futebol (FIFA) e do Comitê Organizador local foi feito no último dia 7 de março.

Esta decisão resulta em um ambiente mais saudável para os atletas, funcionários e torcedores de futebol do Brasil e de todo o mundo”, disse a Diretor da OPAS – Escritório Regional para as Américas da OMS –, Carissa F. Etienne. “Isso também significa que um dos maiores eventos esportivos do mundo não será um lugar para promover o uso de tabaco. Saúdo a FIFA por sua preocupação com a saúde dos torcedores de futebol em todo o mundo”, acrescentou.

A proibição se aplica a todos os jogos nas 12 cidades brasileiras que sediarão a Copa do Mundo de 2014 e também na Copa das Confederações, que ocorrerá em seis cidades de 15 a 30 de junho deste ano. A medida se aplica tanto ao interior quanto aos espaços ao ar livre, dentro do perímetro de cada evento. Não será permitido fumar, comercializar ou fazer publicidade dos produtos da indústria do tabaco.

Além de um ambiente livre de fumo, uma Copa do Mundo livre do tabaco significa a indústria não pode usar táticas de marketing enganosas para recrutar novos fumantes entre os milhares de fãs jovens que frequentam os jogos”, disse Adriana Blanco, assessora na área de Controle de Tabaco da OPAS/OMS. “Isso confirma a tendência dos megaeventos livres de tabaco e ajuda a promover uma mudança social para a sua rejeição”.

Globalmente, o tabaco mata 6 milhões de pessoas anualmente, dos quais 1 milhão nas Américas. No século passado, cerca de 100 milhões de pessoas morreram de causas relacionadas ao tabaco. Além de câncer de pulmão, o tabaco é a causa de 12 outros tipos de câncer e é um fator de risco para muitos problemas de saúde, incluindo doenças cardiovasculares e respiratórias.

O produto prejudica não só os fumantes, mas também a saúde de crianças e adultos expostos à fumaça. Os problemas derivados do tabaco custam à economia global 200 bilhões de dólares todos os anos.

A OPAS alertou que o tabaco é único produto de consumo legal que mata quando usado exatamente como previsto pelo fabricante.

Desde a Copa do Mundo de 2002 na Coreia e no Japão, os últimos quatro eventos foram livres do tabaco. A política foi desenvolvido pela FIFA com o apoio da OMS, que também está fornecendo orientações práticas para a implementação desta medida.

Isso é parte de uma tendência muito positiva nas Américas e no mundo”, disse Blanco. “Vemos grandes eventos esportivos que são livres do tabaco, incluindo as Olimpíadas e a Copa do Mundo. A História também reflete a forte liderança do Brasil, como país, em implementar as medidas de controle do tabaco”, disse ela.

A decisão de transformar o Brasil de 2013 e o Brasil de 2014 livre de tabaco é um passo natural na história dos nossos eventos emblemáticos”, disse o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, ao fazer o anúncio. “A FIFA e o Comitê Organizador Local estão orgulhos de seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde a este respeito. A FIFA reconhece que o consumo de tabaco e a exposição à sua fumaça são prejudiciais e apoia os esforços da Global da OMS com um interesse genuíno na promoção da saúde e segurança”, disse ele.

A OPAS foi estabelecida em 1902 e é a organização internacional mais antiga do mundo na área de saúde pública.