Equipe do ACNUR fala com refugiados de Mianmar em um abrigo para mulheres e crianças em Songkhla, no sul da Tailândia. Foto: ACNUR/V.Tan

Equipe do ACNUR fala com refugiados de Mianmar em um abrigo para mulheres e crianças em Songkhla, no sul da Tailândia. Foto: ACNUR/V.Tan

Rio de Janeiro, Brasil.- A agência de refugiados das Nações Unidas e seus parceiros estão levando ajuda para o noroeste da Tailândia, onde um incêndio matou mais de 30 pessoas, deixou várias feridas e destruiu casas de palha. Como resultado, milhares de pessoas ficaram desabrigadas em um campo de refugiados remoto na província de Mae Hong Son.

Estamos profundamente entristecidos por este incidente trágico e fazendo o que podemos para fornecer alívio imediato”, disse a representante do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) na Tailândia, Mireille Girard.

Nossas equipes estão voltando para o acampamento esta manhã com lençóis, cobertores, colchões e outros itens para fornecer abrigo temporário de emergência antes que suas casas possam ser reconstruídas”, disse ela em um comunicado divulgado no sábado (23).

As autoridades estão investigando a causa do incêndio ocorrido na sexta-feira (22) e que se espalhou para dois setores do campo de Ban Mae Surin. As investigações iniciais sugerem que ele foi provocado por um acidente de cozinha.

Pelo menos quatro pessoas estão gravemente feridas. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha ofereceu ajuda para os feridos, muitos dos quais foram levados para hospitais locais.

Aproximadamente 2.300 refugiados perderam suas casas e bens no incidente, de acordo com o ACNUR. A clínica do campo e o centro de distribuição de alimentos também foram destruídos.

De acordo com as informações mais recentes da ONU, um consórcio de 10 organizações não governamentais de oito países está levando alimento para o campo.

Os esforços de ajuda estão sendo coordenados pelo Governo tailandês e autoridades provinciais e do acampamento.

O local de acampamento fica a 90 quilômetros da cidade de Mae Hong Son, onde vivem cerca de 3.500 refugiados que fugiram do conflito étnico no país vizinho Mianmar.

È preciso dizer que a informação foi traduzida à idioma português e divulgada pela ONU Brasil no dia 26 de março.