Surya P. Subedi, UN Photo/Jean-Marc Ferré

Surya P. Subedi, UN Photo/Jean-Marc Ferré

Rio de Janeiro, Brasil.- Um especialista independente das Nações Unidas em direitos humanos saudou na sexta-feira (15) a notícia da libertação de um jornalista do Camboja, cuja prisão teria sido politicamente motivada, e pediu respeito pela liberdade de expressão. O país terá eleições gerais em julho.

Tenho acompanhado de perto o caso de Mam Sonando e fui visitá-lo na prisão em dezembro passado para ouvir seus próprios pontos de vista sobre o processo. A ligação entre o julgamento de Mam Sonando e a liberdade de expressão no Camboja é motivo de preocupação para mim”, disse o Relator Especial da ONU sobre a situação dos direitos humanos no Camboja, Surya P. Subedi.

Cabe assinalar que os conceitos foram traduzidos à idioma português e divulgados no dia 18 de março pela ONU no Brasil.

O Tribunal de Recurso do Camboja concordou no dia 14 de março que não havia nenhuma evidência para apoiar muitas das acusações contra Sonando, um jornalista que atua numa rádio local.

Ele foi preso em outubro de 2012 e acusado de incitar a rebelião em relação a confrontos entre tropas do governo e moradores da província de Kratie, em maio. O país terá eleições para a Assembleia Nacional no dia 28 de julho deste ano.