?????????????????????????????Rio de Janeiro, Brasil.- Nos próximos dias 18 e 19 de março, o Fórum Global de Commodities 2013 da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) abordará o aumento expressivo dos preços das commodities, matérias-primas produzidas em larga escala e comercializadas a nível mundial, e discutir como esse boom pode ser revertido para beneficiar os pobres e apoiar o crescimento econômico amplo e durável dos países em desenvolvimento. O evento ocorrerá em Genebra, na Suíça.

È preciso assinalar que a informação foi traduzida e divulgada pela Organização das Nações Unidas em Brasil, no 14 de março.

Durante décadas, os bens agrícolas básicos e matérias-primas industriais que sustentam as economias de muitos países pobres eram vendidos a preços baixos e inconstantes nos mercados mundiais. Especialistas em desenvolvimento e representantes de governos lamentavam que estes retornos baixos mantinham as nações da África, Ásia e América Latina longe de expandir as suas economias e reduzir a pobreza.

Desde o final de 2002, porém, os preços das commodities têm enfrentado um aumento sem precedentes e durável, contribuindo para aumentos do produto interno bruto (PIB) em vários países, especialmente na Ásia. No entanto, esse boom foi menos significativo em outras nações e não levou, nesses casos, ao progresso econômico que se esperava, como o de estabelecer uma diversificação econômica. Nos países em que esses produtos não foram efetivos, houve quedas decepcionantes nas taxas de pobreza.

Com o tema “O compromisso do desenvolvimento do setor decommodities como um motor de crescimento econômico e redução da pobreza”, o Fórum vai abordar questões como métodos e mecanismos para países em desenvolvimento e pequenos produtores se desenvolverem apesar da inconstância dos preços no mercado de commodities; os desafios e soluções sobre a coleta, análise e disseminação de informações de mercado e de outros dados das commodities e como melhorar a transparência nos mercados de commodities e cadeias de valor.