B5 Foto OIT Brasil      -Rio de Janeiro, Brasil.- Em meio às crescentes mortes de refugiados palestinos na Síria e a escassez de fundos para a ajuda humanitária no país, o Comissário-Geral da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA), Filippo Grandi, pediu na segunda-feira (11) que doadores internacionais reforcem seu apoio financeiro para ajudar as vítimas do que descreve como “uma guerra confusa, violenta e trágica para a população civil”.

É necessário dizer que a informação foi traduzida e divulgada pela ONU Brasil no dia 13 de março.

Dos 90 milhões de dólares solicitados pela Agência em janeiro para o primeiro semestre deste ano, cerca de metade chegou. “Comparadas às outras [Agências], não estamos tão ruins, mas ainda precisamos da outra metade para continuar nossas atividades emergenciais”, declarou Grandi.

A intensificação do combate ameaça cada vez mais os refugiados palestinos. Doze deles morreram atingidos por tiros de armas pesadas 7 de fevereiro em Yarmouk, no subúrbio de Damasco. Cinco eram membros da mesma família.

De acordo com estatísticas divulgadas pela UNRWA no início deste ano, a maioria dos refugiados palestinos na Síria dependem agora da Agência como meio de sustento. Várias escolas da UNRWA no país servem atualmente como último abrigo para 9 mil pessoas, enquanto dezenas de milhares sofrem por condições adversas nos países vizinhos. Além disso, cerca de 20 mil pessoas fugiram para os campos de refugiados superlotados do Líbano.

Com a drástica redução do mercado de trabalho e a escassez de alimentos, o papel da UNRWA na Síria passou lentamente da prestação de serviços regulares – desde educação até saúde – para emergenciais, como distribuição de dinheiro, alimentos e atendimento médico.

Infelizmente, e cada vez mais, nosso auxílio se transforma de ajuda para o desenvolvimento que fazemos normalmente para a assistência humanitária. E os desafios são aqueles que afetam a todos – insegurança e recursos insuficientes, mas a insegurança em particular”, disse Grandi.