B5 Foto ONU Brasil  .  -Rio de Janeiro, Brasil.- Em declaração para o Dia Internacional da Mulher, o Diretor Executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Yuri Fedotov, pediu aos países, organizações internacionais, sociedade civil e ao público para que trabalhem juntos em prol do combate à violência contra as mulheres.

O Dia Internacional da Mulher, 8 de março , é um dia importante para refletir sobre as muitas conquistas das mulheres, mas também devemos lembrar das milhões de mulheres em todo o mundo que continuam enfrentando violência, abuso e até mesmo assassinato”, disse o Diretor do UNODC.

È Preciso dizer que a informação foi traduzida e divulgada, no dia 8 de março, pela ONU Brasil.

Em média, 18 mulheres são mortas todos os dias na Europa, 12 delas nas mãos de seus parceiros íntimos ou outros membros da família, de acordo com o UNODC. Em 2010, 84 mil mulheres foram vítimas de homicídio no mundo o que representa 18% dos 468 mil homicídios ocorridos naquele ano.

Fedotov lembrou que os assassinatos são apenas a expressão máxima dessa forma de violência. “Apesar dos avanços recentes em alguns países, especialmente na área de legislação, milhões de mulheres continuam a relatar experiências de violência. Estima-se que mais de seis em cada 10 mulheres vão sofrer violência física ou sexual, ou ambas, em algum momento durante as suas vidas”.

Este crime global precisa desesperadamente de uma resposta global. Precisamos trabalhar simultaneamente em todos os países e regiões do mundo para mudar percepções e desenvolver leis sobre igualdade de gênero e do estatuto das mulheres na sociedade. Mulheres e meninas devem ser valorizadas e respeitadas por todos os setores de cada sociedade”, acrescentou.