B5 Foto ONU Brasil.   .Rio de Janeiro, Brasil.- Estudo da União Internacional de Telecomunicações (UIT) mostra, pela primeira vez, a diferença de gênero no acesso à Internet em todo o mundo. De acordo com ”O Mundo em 2013: fatos e dados das TIC” [tecnologias de informação e comunicação], 37% das mulheres têm acesso à rede na comparação com 41% dos homens. A diferença é mais acentuada nos países em desenvolvimento, com 16% menos mulheres conectadas.

È necessário dizer que sínteses da informação, em idioma português, foi divulgada no dia 28 de fevereiro pela ONU no Brasil.

O relatório lançado na quarta-feira (27) também afirma que, em breve, alcançaremos 7 bilhões de assinaturas de celulares – número igual ao de habitantes do planeta. A forte demanda contínua por informação e serviços de tecnologia de comunicação é incentivada pela queda dos preços da Internet de banda larga.

Segundo o documento, apesar de uma tendência positiva geral, onde 96% da população mundial têm acesso a celulares, no mundo em desenvolvimento, 90% das 1,1 bilhão das famílias ainda não têm condição de navegar na Internet.

Fizemos um progresso extraordinário nos primeiros 12 anos do novo milênio e ainda assim temos muito a fazer”, disse o Secretário-Geral da UIT, Hamadoun I. Touré, no Congresso Mundial de Celulares em Barcelona, Espanha.

De acordo com o relatório, o acesso residencial à Internet tem crescido mais rápido na África nos últimos quatro anos, com taxa anual de 27%. Se a tendência continuar, a UIT estima que 2,7 bilhões de pessoas (39% da população do mundo) estarão usando a Internet até ao fim deste ano. No entanto, a maioria estará concentrada nos países industrializados.

Para ler o relatório em inglês, clique aqui.